10 filmes desastrosos baseados em jogos para você passar longe!

10 filmes desastrosos baseados em jogos para você passar longe!

maio 13, 2022 0 Por Othon Norões

Foto:  TudoCelular

Alguns jogos constituem tanto sucesso que ocorre algo peculiar: são adaptados para filmes e podem atingir outro público, que não tem contato com videogames.

Alguns deles, como o recente “Sonic – O Filme” em 2020, podem levar a fundamento da obra que os inspirou e apresentam uma produção ótimo.

Contudo, na maior parte das vezes o resultado é catastrófico.

Adaptar um jogo para o cinema não é uma tarefa fácil e nesse procedimento, mudanças e certas decisões artísticas resultam deturpando a obra e fracassam os fãs.

Inclusive, ajustamentos baseadas em videogames costumam estrear com má recepção do público e da crítica.

Entre os próprios fãs, já há uma discriminação estabelecido quando seu videogame favorito vai para a telona.

Nessa lista, vai relembrar 10 filmes iluminados em jogos considerados verdadeiros desastres que os fãs distinguem esquecer que foram.

10 – Double Dragon (1994)

Foto : Imperial Entertainment Group

Scott Wolfe, Mark Dacascos, Robert Patrick e Alyssa Milano tiveram escolhidos para dar vida a um dos mais famosos beat ‘em up de todos os tempos, gênero que visto que informa eu sair distribuindo pancadas em tudo o que aponta em sua frente.

Apesar de manter a história bruta, o filme sofre com o corte de gastos, mostrando verdadeiros “defeitos” especiais e cenas tão ridículas que são a definição perfeita do termo vergonha alheia.

Para completar o desastre, ele não chegou enquanto pagar e foi um fracasso comercial.

9 – Super Mario Bros. (1993)

Foto : Hollywood Pictures

A memória apaixonada nos faz lembrar de certas coisas da nossa infância como se elas fossem muito melhores do que verdadeiramente forte.

O acomodamento da franquia mais famosa da Nintendo é a prova desse fenômeno curioso.

O filme retira o tom hilariante e colorido dos jogos e entrega um futuros pontos e sombrio com Bob Hoskins e John Leguizamo entendendo os famosos bombeiros.

O perigoso Rei Koopa, Bowser, é representado pelo aclamado ator Dennis Hopper, que não atinge salvar o filme.

Anos depois, foi público que essa aproximação foi adotada para minimizar os custos e mesmo assim, a produção deu prejuízo ao estúdio.

8 – Wing Commander – A Batalha Final (1999)

Foto : Digital Anvil

Nascimento em 1990, Wing Commander é uma franquia de jogos de simulação de combate espacial que fez muito sucesso, desenvolvendo uma série de televisão animada, cartas acumuláveis, romances, figuras de ação e um filme tenebroso que os fãs distinguem esquecer a existência.

A adaptação é considerada uma das piores obras entusiasmantes em videogame de todos os tempos por ignorar aproximadamente todo o material base e pelo roteiro repleto de decisões duvidosas.

O elenco contagem com os atores Freddie Prinze Jr. e Matthew Lillard, que distinguem esquecer esse trabalho.

E como era de enquanto esperar, foi um fracasso de bilheteria.

7 – Dungeon Siege (2007)

Foto : Brightlight Pictures

Dungeon Siege é uma famosa franquia de RPGs publicada pela Microsoft, que apesar de andar um pouco esquecida, conta com uma base confiável de fãs.

Para ajustar a obra para o cinema, Uwe Boll foi escolhido.

Caso você não o conheça, ele é conhecido um dos piores diretores de todos os tempos.

Aquele resultado?

Uma série de ideias estranhas e um filme angustiante de assistir que não tem totalmente nada a ver com os jogos.

Para piorar, a produção é carregada de atores de peso como o brucutu Jason Statham, Burt Reynolds, John Rhys-Davies, Ray Liotta e Ron Perlman que fez os fãs se ataviarem como eles tiverem coragem de aceitar participar dessa maneira bomba.

6 – Resident Evil (2002-2016)

Foto : Constantin Film

Resident Evil é uma das franquias mais amadas de todos os tempos, repleta de personagens agradáveis e momentos impressionantes.

Para adequável, foi escolhido o diretor Paul W.S. Anderson que tomou uma decisão polêmica: relatou os protagonistas dos jogos como coadjuvantes e gerou para o papel principal a personagem Alice, convenientemente conhecida por sua esposa, Milla Jovovich.

O resultado são filmes razoáveis com um festival de câmera lenta e cenas toscas para glorificar a protagonista criada para a obra.

Porém, ele foge da regra dos fracassos e desenvolveu tanto dinheiro que o estúdio arriscou em seis filmes ao longo de catorze anos.

Como isso é possível ficando tão ruim e massacrado pelos fãs?

Ninguém sabe.

5 – Mortal Kombat: A Aniquilação (1997)

Foto : New Line Cinema

Mortal Kombat tremeu a indústria de jogos por apresentar uma proposta simples, mas ousada: personagens partindo o pau com violência patente e absurda, o que fez muitos responsáveis e organizações puxarem os cabelos de desespero pelo impacto nas crianças, algo que nunca aconteceu.

Após um primeiro filme afortunado e ovacionado por boa parte dos fãs, Mortal Kombat retorna para uma acomodação baseada no terceiro jogo, onde tudo que deu certo no primeiro é esquecido.

Ele quer apostar em decisões controversas e incoerentes, deixando o material original.

O criador da franquia, Ed Boon, caso relata a ele como uma de suas piores lembranças, então você já imagina a qualidade do filme.

4 – Street Fighter: A Lenda de Chun-Li (2009)

Foto : 20th Century Studios

Jogos de luta acostumam ser divertidos porque contribuem uma história simples como pretexto para que indivíduos determinem suas diferenças saindo na mão.

O filme de 1994 pensa diretamente assim e entrega uma obra divertida e pastelona que existe na memória de muitos, com o astro Van Damme atuando Guile e o respeitado Raul Julia como o perigoso Bison.

O reboot de 2009 recusa tudo o que Street Fighter é e experiência entregar uma história séria, mas totalmente genérica repleta de diálogos cansativos e muita engano.

Ele é tão ruim que você recuperara diversos memes no YouTube sobre suas decisões controversas e falas “icônicas”.

3 – BloodRayne (2005)

Foto : Romar Entertainment

A franquia de jogos BloodRayne traz a meio vampira Rayne recusa nazistas e monstros um pouco antes da Segunda Guerra Mundial.

Com uma história simples, violência mostra e ação contínua, não tinha como sair um filme ruim, certo?

Lamentavelmente , deu errado e foi muito pior do que fantasiavam Uwe Boll, o infame diretor conhecido pelos piores filmes da história, foi chamado e decidiu ignorar a história dos jogos e levar a protagonista para o século XVIII em uma narrativa sem nenhuma lógica.

Apesar de ser um fracasso comercial gigantesco, ele ainda desenvolveu duas sequências que demandam para saber quem é a pior.

2 – House of the Dead (2003)

Foto : Artisan Entertainment 

O jogo de tiro em primeira pessoa da SEGA apresentou a infância de muitos, apesar de sua proposta simples: matar todas as criaturas que comparecerem na tela.

Uma acomodação para o cinema requereria um pouco mais de imaginação, então necessitavam do cara certo.

O diretor preferido foi Uwe Boll, o próprio.

Seu histórico de filmes horríveis não abalançou na escolha do estúdio, que trouxe uma conspiração em que adolescentes vão para uma festa rave em uma ilha e se encontram com zumbis descontentes por carne.

O filme renovo gargalhadas pela sua tosqueira e talvez por isso, obteve ganhar uma sequência, mas não se equivoque: ela é outro desastre.

1 – Alone in the Dark – O Despertar do Mal (2005)

Foto : Brightlight Pictures

A franquia Alone in the Dark pode não ser uma das mais populares, mas conseguiu o coração de muitos jogadores ao trazer uma trama envoltório e cheia de suspense com elementos sobrenaturais.

Para manter toda a natureza da obra original e trazer algo único, o diretor Uwe Boll retorna para entregar não só o pior filme da sua carreira, mas uma das piores obras cinematográficas de todos os tempos.

A história ignora integralmente os jogos, contagem com diálogos ridículos, efeitos especiais aceitáveis e atuações, como da atriz Tara Reid, que passaram memes.

O astro Christian Slater deve ter desaparecido alguma aposta para aceitar estrelar esse desastre.