(Foto: Divulgação)

(Foto: Divulgação)

Projeto que interdita a comercialização e locação de toda designação a menores de 18 anos relacionados às armas de fogo, desde brinquedos aos games, que já foi consentido na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), é tramitado na Assembleia Legislativa do Ceará (ALECE).

Segundo o autor da matéria, Capitão Wagner (PR), esses similares são usados para a execução de crimes, por conseguinte, é necessário conter a comercialização desses. Ao seu ver, esses itens podem ser acessórios para impulsionar a violência urbana. Incluindo os jogos eletrônicos em seu discurso, continuando com a afirmação de que esses incitam a hostilidade entre os jovens. Para auxiliar sua declaração, o parlamentar noticia que essa foi embasada em estudos que comprovam a influência de materiais desse gênero na formação de crianças.

“Quando ela tem contato de que é natural matar, agredir fica na cabeça dela a formatação de uma cultura de violência, e a gente se preocupa com isso. Isso vale para videogames e outros produtos que são comercializados livremente aqui no Ceará”, assim foi salientado.

Os comerciantes que não atenderem a essa ordem receberão advertência por escrita, valendo-se de multa de R$ 1 mil a R$ 10 mil, ademais a suspensão e, podendo até haver, cassação da licença de funcionamento. O Capitão continuou a afirmar que “a experiência de jogar títulos como Alan Wake ou Heavy Rain é excelente, graças a toda a capacidade explorada nos aparelhos. Nessa mesma linha de ‘fotorrealismo’, os games de guerra como Call Of Duty ou de mundo aberto como GTA exploram temas violentos no seu enredo”.

Então gamers, o que acham desse projeto? Deal or no deal?

Fonte(s:) Diário do Nordeste


18554396_1469725653097765_325659145_nRayanne Bezerra
Estudante de Jogos Digitais.
“Em cada trabalho que dev