Em 1992 a produtora Jaleco desenvolveu o game Brawl Brothers. No estilo Beat em up, o jogo não tinha uma história bem definida. Basicamente era escolher um dos cinco personagens: Rick Norton, Kazan, Wendy Milan, Douglas Bild e Lod J. e sair espancando todos os inimigos pela frente.

O jogo possui apenas quatro fases, porém existem muitas mudanças de cenário o que poderíamos considerar sub-fases e deixa o jogo bem maior que aparenta ser. O game é bem longo e possui certa dificuldade para finalizar. Jogar com um amigo torna as coisas um pouco (bem pouquinho) menos difícil já que a quantidade de inimigos é enorme e alguns bem apelões.

       

Outro ponto que contribui para a dificuldade do game são os bosses que por incrível que pareça são personagens que podemos jogar. Podemos jogar? Com os bosses? Como assim?

Eu explico.

No início do jogo podemos escolher cinco personagens como já dito anteriormente. O detalhe está em quem o player NÃO escolhe, por exemplo, caso o player 1 escolha Rick Norton e o player 2 escolha Kazan, os três bosses serão Wendy Milan, Douglas Bild e Lord J. ou seja, os personagens que restaram. Ao término de cada fase em que derrotamos um dos bosses, podemos fazer a escolha de jogar com esses “novos” personagens.

A jogabilidade do game é típica de jogos beat em up. Movimentos para cima, para baixo e para os lados. Botões de ataque, salto, Taunt (traduzindo ao pé da letra, uma provocação) e um ataque especial que gasta um pouco de energia.

   

Um ponto a se destacar nos comandos são movimentos especiais que os personagens possuem, por exemplo, Rick Norton soltar uma fireball ou Douglas Bild cuspir fogo. Esses movimentos se tornam ainda mais especiais pelo simples fato (e bem covarde diga-se de passagem) do player ter que ADIVINHAR (a palavra é essa mesmo, não tem tutorial não) o comando para executar tal movimento. Esses comandos também podem ser usados no modo versus  o que abre um outra possibilidade de jogar com um companheiro.

Brawl Brothers é um jogo bem difícil e desafiador, mas uma vez finalizado a sensação de dever cumprido leva o player ao êxtase, principalmente após derrotar o último boss Dieter que é um exímio apelador.

A parte lamentável do game, mas que não é exclusividade de Brwal Brothers é o final do jogo. Em resumo, o game termina com um diálogo super clichê (self-destruct) seguido de mais palavras e só. É bem decepcionante eu admito.

Brawl Brothers foi o game do Momento Retrô de hoje. Matem a saudade no link abaixo, sintam-se desafiados e quem sabe até joguem um pouco via Snes ou emulador.

VEJA O VÍDEO:

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS:

Brawl Brothers
Brawl Brothers

North American cover art
Developer(s) Jaleco
Publisher(s) Jaleco
Designer(s) Hoshi Kazuaki
Ryoichi Kuramochi
Composer(s) Atsuyoshi Isemura
Hajime Uchida
Series Rushing Beat
Platform(s) Super Famicom/SNES
Release date(s) Super Famicom/SNES

  • JP December 22, 1992
  • NA April 1993
  • PAL 1993
Genre(s) Beat ‘em up
Mode(s) Single-player, cooperative

Apoio: RETROGAMER – FORTALEZA


12825305_10204170564262781_882361090_nWilliam Carlos
Vice-presidente e diretor de eventos da UCEG. Amante de jogos eletrônicos e atualmente tenta se dedicar aos fighting games por ser o estilo que mais lhe agrada.