SteppyPantsLogo

Você vai adorar jogar Steppy Pants! (Foto: Reprodução)

E aí, queridos e queridas, sejam muito bem-vindos a volta dessa que é a coluna que mais sofre hiatos! Sim, voltei a escrever essa coluna que já estava entrando no limbo, mas estou na pegada para que não falte até o fim do ano. Não vou entrar em detalhes dos motivos da parada do Mobilezando, mas saibam que esse retorno será muito prazeroso.

Para quem é leitor antigo, irá perceber que passamos por mudanças logo nos títulos, que agora está sendo enumerado (no caso, 42), também mudou o dia de postagem desta humilde coluna, que antes era as segundas, e a partir desse ano sairá as quintas. Mais mudanças e coisas novas virão em breve.

O que não muda é a diversão que eu escrevo para vocês. Tá, chega de enrolar e vamos para o jogo de hoje.

Jogo: Steppy Pants;
Tamanho: 66 Mb;
Oferecido por: S Games Pty Ltd.;
Para: IOS e Android.

Jogabilidade: 9/10

Steppy Pants é um jogo daqueles que você se diverte e fica com raiva ao mesmo tempo, porque é um dos games chamados de “endless runner”, isto é, que não tem um fim, por assim dizer, onde o principal objetivo é ir o mais longe possível. Basicamente o personagem principal caminha em linha reta e a cada toque na tela do smartphone, ele se movimenta. A pressão do toque na tela indica o tamanho da passada das pernas, então se você exagerar na força pode dar ruim. O ideal é caminhar em linha reta por calçadas e ruas, evitando ao máximo pisar nas rachaduras ou TNTs (bombas) pelo caminho, senão o fim será trágico. Com uma física fluída e um protagonista que parece não ter ossos no corpo, a cada erro, apesar de acabar a caminhada e o personagem por não conter uma estrutura óssea, termina indo pelos ares, literalmente. Existem ainda muitos itens cosméticos dentro do jogo, assim como quatro mundos diferentes que são desbloqueados de acordo com a quantidade de metros que se percorre pelo mundo anterior. Ou seja, para liberar o cenário seguinte, é preciso andar x metros no atual para desbloquear o próximo.

Desempenho: 9,2/10

Com relação ao desempenho, pode-se ficar tranquilo, pois Steppy Pants foi muito bem otimizado para que qualquer smartphone possa rodar sem maiores problemas, uma vez que não é um jogo tão grande. Infelizmente precisa carregar muitas coisas ao longo da caminhada do personagem, deixando a vida útil da bateria do aparelho um pouco escassa. O game não apresentou travadas ao longo de horas da jogatina, então com relação a sua performance, ele se destaca entre os muitos jogos que são “endless runner”.

Gráficos: 9/10

Um jogo divertido assim com certeza não pecaria nos gráficos. Steppy Pants relembra a era dos 8-bits onde tudo era pixelado. É uma caminhada a lá jogos do Super Nintendo, mas com uma pitada de atualidade, pois é notório que sua física é bem mais avançada do que a de um jogo retrô. Um ponto muito importante também é sua trilha sonora, que passa diversão e nostalgia ao mesmo tempo, fazendo com que a experiência possa ser ainda mais significativa aos jogadores mais saudosistas. Com cores bem alegres e uma ótima movimentação, os gráficos, misturados aos elementos de games antigos com os mais atuais, fazem com que Steppy Pants seja uma peça única.

Avaliação Final: 9,1

Steppy Pants se mostra um jogo com uma dificuldade elevadíssima, mas que no final vai recompensando o jogador cada vez que o protagonista está indo mais longe, fazendo com que o player não queira parar. Vale muito para as horas de tédio, filas de banco, além de também arrancar boas risadas por ter um mascote-personagem icônico e engraçado.

Link para download:  http://steppypants.com/

Por hoje é só pessoal, fico feliz pela a volta desta coluna, pois acaba sendo um marco para mim de forma profissional. Que esse ano possa ser muito bom para todos os meus leitores. Agradeço a companhia, um abraço e até próxima semana! 😀


10649904_947268718700477_5141063123742980764_nAlessio Chaves
Formando no curso integrado de informática pelo IFCE, graduado no curso “open CG” pela Gracom, secretário Geral da UCEG e host do Quebrando o Controle.
“Pode-se dizer que sou levemente autista que ama games e faz deles um hobby para alegrar as pessoas.”