Mídia física ou digital, o duelo. (Imagem: Reprodução/Youtube/Central Plays)

Mídia física ou digital, o duelo. (Imagem: Reprodução/Youtube/Central Plays)

A forma de comprar um jogo de video-game ou PC mudou, hoje é possível escolher entre comprar direto via download em seu console, mas apesar da aparente comodidade, muitos ainda preferem comprar o bom e velho disco.

Segundo pesquisa realizada em outubro pela Entertainment Retailers Association (ERA),  que é a associação de varejistas de entretenimento do Reino Unido – atualmente o 6º maior mercado de videogames do mundo, de acordo com o importante site Newzoo, mais de 77% dos jogadores ainda preferem a mídia de seus jogos em formato físico, o disco.

Dados da ERA

Dados levantados pela ERA (Imagem: Site ERA)

Os dados divulgados pela ERA representam um grande termômetro em âmbito global dada a importância do mercado britânico no mundo dos jogos.

Física x Digital

É possível elencar alguns fatores que podem influenciar na escolha entre mídia física e digital, e que nos ajuda a entender melhor os números. De acordo com Izequiel Norões, professor do curso de Jogos Digitais na Estácio e diretor da União Cearense de Gamers (UCEG), a praticidade é um fator determinante na escolha da mídia digital. “Pensando em tendência, claro que a mídia digital é muito mais prática e usual que a mídia física. Vivemos num mundo onde cada vez mais a praticidade no uso das coisas será necessária”, afirma.

Loja da PSN

Loja virtual da PSN, compre direto no seu console. (Imagem: Playstation Brasil)

O preço elevado e o não parcelamento de valores durante a compra são alguns dos problemas apontados como causas da pouca popularidade da venda de jogos em mídia digital, muitos questionam o porquê de os preços das cópias digitais serem equivalentes – às vezes até mais caros – que as físicas. A justificava, na opinião de André Xavier do podcast Quebrando o Controle, é que isso se deve à pressão dos grandes varejistas sob as empresas que produzem os consoles. “As empresas precisam das grandes lojas para vender seu console. Grandes empresas como Gamestop, Best-Buy e Walmart são contra a desvalorização do físico, pois, assim perderiam”, explicou.

“Há uma ideia implícita de equilíbrio de mercado, os varejistas têm que arcar com custos logísticos na prensagem, no transporte e no armazenamento dos discos, custos esses que não aplicam à mídia digital, e isso seria uma forma encontrada pelos varejistas de conter a baixa de preço da mídia digital, tornando competitivo o preço da cópia física”, acrescentou André.

A mídia física ainda possui fãs apaixonados

O estudante de filosofia e adepto da mídia física Elano Moura, se apoia na tradição de possuir os extras que só a caixa do disco pode proporcionar, e conta que alguns brindes atraem os fãs mais fervorosos.“Pela questão de ser um item a mais para quem é fã de uma série, por exemplo Gears Of War. A caixa possui adesivos, e em edições mais completas pode ter miniaturas, entre outros itens. É algo que tenho como costume antigo, que acompanha desde as gerações passadas de consoles”, conta.

Caixas xbox

A mídia física ainda reina (Imagem: Internet)

Um futuro alternativo?

Entre apreciadores da mídia física e digital há um certo consenso quanto ao futuro, e sobre isso, o streaming – serviços de transmissão online – pode se tornar uma tendência. “Eu aposto que o futuro das mídias é algo similar ao ‘stream’. O Playstation Now é um protótipo dessa nova vertente”, disse André.

Algumas tecnologias vêm para ficar e outras não, só nos resta aguardarmos. Até o momento a mídia física ainda domina o mercado e a preferência dos fãs tanto pelo preço quanto pelo valor sentimental.


joaopauloJoão Paulo Gonçalves
Estudante de jornalismo, às vezes gamer, às vezes leitor e bebedor de cerveja.
“Quem joga seus males espanta”