Ideias em jogo 12 - O Direito Autoral e os jogos eletrônicos

Na 12ª edição do Ideias em Jogo realizada em 11 de junho, no Auditório Presidente Castello Branco do Instituto Federal do Ceará (IFCE), o tema central foi  “O Direito Autoral e os jogo eletrônicos”.  O evento também trouxe a apresentação de jogos desenvolvidos por estudantes e desenvolvedores do nosso estado, que listaremos mais adiante.

O convidado da noite foi o advogado André Peixoto, que preside o Instituto de Direito da Tecnologia da Informação (IDTI) e atual vice-presidente da Comissão de Direito da Tecnologia da Informação da OAB/CE.  Ele também é Mestre em Direito Constitucional Privado e Pós-graduado em Direito Empresarial, além de lecionar Direito da Tecnologia da Informação.

Proteger a sua obra

Trabalhar com o que se gosta, criar personagens, dar vida a eles e construir um universo único é realizador, quem atua na indústria na de games sabe como é boa a sensação de ver algo acontecendo. No entanto, é necessário que esse profissional, ou futuro profissional, também seja capaz de proteger cada item que demorou tanto para criar, e é aí que entra o Direito Autoral.

“A criação nasce a partir de uma paixão, o nosso estado é pioneiro em inovações tecnológicas. A partir do momento que o seu game desperta o interesse de grandes empresas você precisa ter um suporte”, explicou André.

O Direito Autoral incentiva a indústria 

A pirataria é uma grande vilã da indústria, desfavorece os desenvolvedores e desvaloriza o mercado como um todo. O Direito Autoral também é uma medida que visa assegurar o bem dos profissionais que atuam na área.  André também elucidou os benefícios de se combater a pirataria.

“O problema é que a pirataria mata a indústria. A proteção do direito autoral favorece a inovação, estimula a todos”

A importância de registrar

Manter a originalidade é parte óbvia do processo de criação, as inspirações também. No entanto, é importante guardar realizar back ups das informações sobre suas próprias criações. Além de ser uma medida de segurança, caso haja perda do material original, isso irá lhe assegurar uma proteção futura a possíveis ameaças de plágio.

“Você precisa criar pontos em que possam te individualizar. Se você não registrou, você terá que comprovar que criou”

André Peixoto no Ideias em Jogo 12 (Foto: UCEG)

André Peixoto no Ideias em Jogo #12 (Foto: UCEG)

Para o professor de Engenharia da Computação e coordenador do Programa Educacional Brasileiro de Desenvolvimento para iOS (BEPiD) no IFCE, Carlos Hairon, a receptividade do evento foi muito boa. “Foi excelente, cumpriu todos os objetivos. Os alunos participaram e fizeram muitas perguntas. O André tem muito conhecimento na área. Nós gostamos muito de sentar e programar, mas precisamos ter uma ideia melhor do que fazer e o do que não fazer”, declarou.

A troca de informações com o público é uma via de mão dupla, André faz uma avaliação. “Para a gente também é um aprendizado. Cada vez que temos contato com estudantes e desenvolvedores sempre presenciamos novas experiências e abordagens. É muito rico, é um universo muito legal  e trocamos muito conhecimento”, disse.

Ideias em Jogo 12 - O Direito Autoral nos Jogos Eletrônicos (Foto: UCEG)

Ideias em Jogo #12 – O Direito Autoral nos Jogos Eletrônicos (Foto: UCEG)

Confira a lista dos jogos exibidos no evento e clique nos nomes para acessar os links:

Pong Bash

Blau

Ludo Stadium

At The Beginning

Veja o evento na íntegra:

Nossos agradecimentos ao IFCE na pessoa do Professor Carlos Hairon, ao convidado André Peixoto e a todos que compareceram.

Até o próximo Ideias!

 


joaopaulo

João Paulo Gonçalves
Estudante de jornalismo e Gamer de coração.
“Quem joga seus males espanta”