hora-dogank

O comércio eletrônico, ou e-commerce, no geral teve um crescimento de 25 % no país, entre os anos de 2013/2014, e como é notável, os esportes eletrônicos também estão tendo um crescimento grandioso. E isso condiz com o reforço midiático em como as marcas tem sido tratadas no decorrer das competições e eventos no qual os remetem.

Dos grandes exemplos deste tipo de apelo estão primeiramente a Universidade chinesa, Chongqing Energy College, que iniciou recentemente um curso voltado para nada mais nada menos que Dota, isso mesmo, o curso de “Desenvolvimentos Recentes de Esportes Eletrônicos e Análise de ‘Dota.” O curso visa estudar conceitos e estratégias utilizadas em jogos online – especialmente o popular MOBA – e procurar formas de aplicá-los na vida real.

Segundo, Zeng Qingqing, professor do curso, estudantes de cursos na área de esportes eletrônicos tem sua própria forma de pensar, senso critico e determinação diferenciado, o que está cada vez mais raro nos dias de hoje. Vale ressaltar também que nos EUA, os esportes eletrônicos oferecem bolsas de estudos nas Universidades como qualquer esporte convencional.

besiktas-espor

Um outro exemplo bem interessante é o investimento de times profissionais de esportes convencionais como futebol, vôlei e basquete. Eles já começaram a voltar sua atenção ao seguimento, como é o caso do Besiktas, um dos maiores clubes de futebol da Turquia, também compete nos gramados virtuais. Na sua mais relevante atuação, recentemente como campeção do WildCard Invitational (WCI) de League Of Legends.

“O mundo está mudando e, para esta geração, computadores e internet significam muito. Agradecemos nossos amigos, agora nós temos uma nova unidade que não irá competir no campo, mas online”, disse o clube em comunicado publicado em seu site oficial, na época da contratação do antigo Aces High, no qual era o nome antes da formulação do contrato.

O que será que falta para o apelo midíatico deste tipo de competição criar raízes no nosso estado? Falta iniciativa privada ou profissionalização do ramo? É possível criar uma federação grande no Estado?

Autor: Matheus Costa